Certa vez os discípulos do Senhor disseram ao Mestre: “Aumenta-nos a fé. E Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria” (Lc 17.5,6). Mas, o que significa ter fé como grão de mostarda?

Muitos não entendem o que Jesus quis dizer quando falou sobre ter fé como grão de mostarda; saem por aí dizendo que se você tivesse um “grãozinho” de fé já veria milagres acontecendo, e que se você não está experimentando nada, é porque não tem fé nenhuma. Mas o Mestre não seria incoerente, afirmando em um momento que uma pequenina fé como um grão de mostarda resolve tudo, para logo a seguir repreender seus discípulos por terem uma fé pequena como naquela ocasião em que Ele ordenou que os ventos e o mar se acalmassem. Estão lembrados deste episódio? Pois bem, de modo algum Cristo faria isto de entrar em contradição!

Então, o quê, de fato, Jesus estava ensinando? Vejamos o texto em que se encontra o registro destas suas palavras. Diz assim a Bíblia: “Disseram então os apóstolos ao Senhor: Aumenta-nos a fé. Respondeu o Senhor: Se tivésseis fé como um grão de mostarda, diríeis a esta amoreira: Desarraiga-te, e planta-te no mar; e ela vos obedeceria” (Lc 17.5,6).

Tudo começou com um pedido dos discípulos por uma fé maior. Observemos que o interesse deles é pela questão do crescimento da fé. Jesus havia lhes ensinado antes algo sobre a prática do perdão que lhes parecia impossível de se viver; então, como que dizendo que o nível de fé deles não alcançava este ensino, pedem mais fé para poder perdoar como o Senhor quer. E é exatamente nesta hora e contexto que Jesus lhes responde: “Se tiverdes fé como um grão de mostarda...”. Repare que Ele não disse fé “do TAMANHO”, mas falou claramente: “COMO” (apesar da tradução NVI ter erroneamente traduzido este versículo como “do tamanho de” – o que está errado). Na verdade o Senhor ensinava sobre a semelhança entre a fé e uma semente e não sobre o tamanho da fé.

E que semelhança pode haver entre um e outro? Enxergue o paralelo que Jesus estabeleceu: os discípulos estão olhando para sua própria fé e vendo-a tão pequenina que não alcança o nível do ensino do Mestre; então reconhecem que sua pequena fé precisa crescer. Mas como fazer crescer a fé? Bem, eles pedem a Jesus que faça sua fé aumentar, só que Jesus simplesmente ensina-os que a responsabilidade de aumentar a fé não era de Deus, mas deles mesmo! E então os ensina como fazê-lo: usando a lei de semeadura e da ceifa. Se você tem um grão de mostarda, mas reconhece que ele não é suficiente para o que você precisa, e quer aumentar seu estoque de mostarda, o que deve fazer? Bem, é plantar para que possa colher mais. Toda semente plantada se multiplica; e se o plantio for se repetindo, a mostarda irá multiplicando-se! Assim é com a fé.

Não importa se o que você tem é pouco, você pode aumentar, fazer crescer sua fé. Não adianta orar para que Cristo o faça, pois Ele não vai fazer; já não fez pelos discípulos para ensinar que é responsabilidade nossa, e não fará por nós. Há orações que Deus jamais responderá, uma vez que já tenha dado toda instrução em sua Palavra para resolvermos o problema. Então, para que nossa fé cresça, temos que SEMEÁ-LA. E a forma pela qual se semeia a fé é mediante seu exercício; quando usamos a fé que temos em uma necessidade específica, e vemos a intervenção de Deus, colhemos mais fé. Pois à medida que a usamos, e vemos os resultados, ela se fortalece e assim vai crescendo até que possa chegar ao ponto de transportar não somente amoreiras, como também montes. Glória a Deus!

Precisamos aprender hoje e sempre a fazer crescer a nossa fé. Como diz a Escritura: “a justiça de Deus se revela de fé em fé” (Rm 1.17). Poderíamos exemplificar esta verdade dizendo que a vida de fé é como galgar uma escada, degrau após degrau. Há diferentes níveis de fé e devemos crescer neles. O Senhor Jesus mencionou os diferentes níveis de fé ao elogiar a “grande fé” de alguns (como, por exemplo, daquele centurião romano que tinha um servo enfermo; e também daquela mulher cananéia cuja filha encontrava-se endemoninhada). Mas Cristo também chegou a repreender a “pequena fé” de outros, como por exemplo, dos próprios discípulos.

Quer dizer, Deus não quer que sua fé seja sempre pequena, mas que cresça. Há um crescimento na fé; a Bíblia diz que a fé dos tessalonicenses “crescia muitíssimo” (2 Ts 1.3). Então hoje faça crescer e desenvolver sempre a sua fé no Deus que é o mesmo ontem, hoje e eternamente. E vá rompendo as barreiras de fé em fé no poderoso nome de Jesus. Amém!

Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.