A história da Igreja é marcada por sofrimentos e sangue derramado. Isto não é de se estranhar, pois o Senhor Jesus advertiu os discípulos sobre a realidade da perseguição que eles haveriam de enfrentar:nMateus 5.11: “Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês.”

João 15.20: “Lembrem-se das palavras que eu lhes disse: nenhum escravo é maior do que o seu senhor. Se me perseguiram, também perseguirão vocês.” Mateus 10.17: “Tenham cuidado, pois os homens os entregarão aos tribunais e os açoitarão nas sinagogas deles.” Lucas 6.22: “Bem-aventurados serão vocês, quando os odiarem, expulsarem e insultarem, e eliminarem o nome de vocês, como sendo mau, por causa do Filho do homem.”

Estas e muitas outras palavras do Senhor Jesus já tiveram seu cumprimento e, ainda hoje, vêm se cumprindo na vida da Igreja. Os vinte séculos vividos são testemunhas desta realidade, pois desde o primeiro século da nossa era, os cristãos vêm experimentando sofrimentos inimagináveis, por amor Àquele que deu a sua vida na cruz do calvário para os libertar da condenação eterna. 

A IGREJA PERSEGUIDA

A perseguição aos cristãos em nossos dias têm se intensificado terrivelmente, pois ao redor do mundo, milhões vêm enfrentando constantemente falsas acusações, depreciações, desprezos, privação da liberdade religiosa, enfrentando todo tipo de hostilidades. A conversão ao cristianismo é inibida por conta de ameaças vindas de governos ou de grupos extremistas, tanto no âmbito individual, familiar ou eclesiástico. Segundo fontes de entidades religiosas, como a Missão Portas Abertas, a perseguição à Igreja nos 50 países onde a intolerância é mais severa, alcança milhões de seguidores do Senhor Jesus, que vêm sofrendo por causa de sua fé. Eis algumas das consequências que foram descritas por cristãos alvos de perseguição:

  • Não têm seus direitos de liberdade religiosa garantidos;
  • São forçados a deixar suas casas ou empregos por medo da violência;
  • São agredidos fisicamente e outros até mortos por causa de sua fé;
  • São presos, interrogados e, por diversas vezes, torturados por se recusarem a negar a Jesus.

O número de cristãos perseguidos inclui aqueles que são confrontados com outras formas de hostilidade além da violência isolada ou específica. É a chamada perseguição branca, quando não há derramamento de sangue, como a perseguição ideológica, acadêmica, midiática, entre outras. Em alguns países a perseguição afeta todos os cristãos, qualquer que seja sua denominação. Em outras nações, ela afeta apenas uma parte da comunidade cristã, a qual se difere em algum aspecto das outras denominações.

Um cristão, por exemplo, menos ativo no evangelismo e/ou em outras atividades públicas que outros, chama para si menos atenção e é menos confrontado. A perseguição também pode depender da região do país onde vivem os cristãos. Áreas dominadas pelos muçulmanos em países de maioria cristã podem exercer uma forte pressão sobre os cristãos, chegando a atos de violência contra eles, mesmo que o país seja de maioria cristã.

Na tentativa de responder à questão se o cristianismo é a religião mais perseguida no mundo, a equipe de pesquisa da Missão Portas Abertas afirma que o cristianismo é a religião mais perseguida no mundo. Esta instituição atua há mais de 60 anos em mais de 60 países onde existe algum tipo de proibição, condenação, execução ou ameaça à vida de pessoas ou à liberdade de crer e expressar a fé em Jesus Cristo. O apoio vem por meio de Bíblias, materiais cristãos, treinamentos, ajuda socioeconômica e ajuda presencial, para que esses cristãos sejam fortalecidos para servir e levar boas novas às suas comunidades.

Leia as palavras de um líder cristão perseguido na China, depois de ter passado 40 anos na prisão. “Eu provei da alegria de Jesus dentro de uma cela, por que ali somente ele poderia me amparar e eu tive uma grande experiência.” Outro líder de uma pequena igreja na Indonésia contou sobre sua rotina: “Todos os dias nos preocupamos se nossos filhos voltarão para casa, se a igreja será atacada ou se vamos perder algum irmão por causa da violência dos perseguidores”.

Os cristãos perseguidos são especialistas em resistência. Como imitadores de Cristo eles suportam a tudo com fé, assim como Jesus suportou a cruz para nos salvar. “Jesus não pediu para se livrar da cruz, antes, porém, ele cumpriu o plano da salvação e trouxe libertação a todos nós”, afirmou uma cristã perseguida não identificada por motivos de segurança. “A resistência é nossa tarefa, nosso ministério e nosso poder nestes últimos dias”, disse um pastor colombiano que trabalhou em áreas dominadas pela guerrilha, “e nas mãos de Deus, nossa resistência nunca pode ser desperdiçada”, concluiu. “Lembrem-se dos primeiros dias, depois que vocês foram iluminados, quando suportaram muita luta e muito sofrimento.” (Hebreus 10.32). Ore e interceda pelos cristãos perseguidos nos mais de 60 países espalhados pelo mundo, onde o cristianismo é hostilizado e seus seguidores são maltratados, desprezados, torturados e presos. “A oração de um justo é poderosa e eficaz.” Tiago 5.16.

Devemos intensificar nossas orações em favor dos nossos irmãos que, espalhados pelo mundo, sofrem por amor ao Evangelho: Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar; Ao qual resisti firmes na fé, sabendo que as mesmas aflições se cumprem entre os vossos irmãos no mundo. E o Deus de toda a graça, que em Cristo Jesus nos chamou à sua eterna glória, depois de havemos padecido um pouco, ele mesmo vos aperfeiçoe, confirme, fortifique e estabeleça (1 Pe 5.8-10).

PARA CONSULTA

https://www.anajure.org.br/wp-content/uploads/2018/01/portas-abertas-lista-mundial-daperseguicao-2018-bx.jpg

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.