O quinto mandamento do Decálogo: “Honra teu pai e tua mãe” (Êx 20.12) visa preservar a família, que é uma instituição divina onde toda a estrutura da sociedade está baseada.

Honrar os pais se constitui num princípio moral tanto para o AT quanto para o NT. Que obedecê-lo resulta em muitos benefícios e infringi-lo resulta em grandes prejuízos. Oito dos dez mandamentos do Decálogo são proibições e dois são positivos, o quarto e o quinto. Temos aqui o segundo mandamento apresentado em fórmula positiva. A honra aos pais, diante de Deus, garante sucesso e vida longa (Dt 5.16; 6.6-9, Pv 22.6). A desonra aos pais é um mal que assola as nações, o que resulta em uma maldição nacional (Ml 4.6).

I - UMA DEFINIÇÃO DE HONRA

A palavra honra se deriva do latim “honor”, que significa: respeitar, decorar ou ornamento. De acordo com o dicionário, a palavra honra tem os seguintes significados: grande respeito e estima dada a outrem; nobreza de mente, retidão; dignidade, especialmente a que se outorga a altas posições; cortesia social. No hebraico é “hadar”, e sempre indica sinais de respeito, obediência a pessoa e leis (Pv 21.21). A honra é o resultado da soma de todas as virtudes. É o justo sentimento de reconhecimento, não somente de uma posição em si, mas de alegria em dar a outrem aquilo que é por si mesmo ou conquistou (Rm 12.10; 13.7). A honra, além de ser uma qualidade moral que leva o indivíduo a cumprir os deveres para com os outros e consigo mesmo, é um mandamento divino que redunda em felicidade e vida prolongada (Êx 20.12; Ef 6.2, 3). Isso não é mágica ou milagre, é uma realidade social (Pv. 1.8; 3.1,2; 6.20; 23.22).

II – O QUINTO MANDAMENTO DO DECÁLOGO

Os pais são representantes de Deus na família; honrá-los e temê-los significa fazer o mesmo em relação a Deus. São eles que geram os filhos e são responsáveis pelo bem-estar deles, pelo seu sustento, alimentação, vestes, saúde e educação. Não existe na vida alguém mais importante para o filho do que o pai e a mãe, pois eles são seus heróis. Esse relacionamento é semelhante ao de Javé com o seu povo Israel (Dt 1.31; Ml 1.6). A expressão “o teu pai e a tua mãe” se aplica também aos pais espirituais, que devem ser honrados e respeitados pelos filhos na fé. Isso é visto na lei (2Rs 2.12; 13.14) e na graça (1Tm 1.2; 2Tm 1.2; 2.1; Tt 1.4). A figura do governante também se assemelha à dos pais; veja como Débora se considera mãe de Israel (Jz 5.7). Assim, o mandamento abrange as autoridades espirituais que devemos respeitar.

2.1 Honrar os pais é um mandamento (Êx 20.12-a). Honrar não é somente obedecer; Esaú obedecia a seu pai, agradava-o, mas tomou atitudes que vieram a desonra-lo gravemente (Gn 25.34,35). A expressão mandamento no hebraico é “mitswãh”. Este substantivo ocorre 181 vezes no AT. Sua primeira ocorrência é em Gn 26.5, onde “mitswãh” é sinônimo de “hõq” “estatuto, ordenança, prescrição, regra, lei, regulamento”. Honrar os pais  é um imperativo, ou seja, uma ordem, pois se constitui numa obrigação moral imposta por Deus (Êx 20.12; Dt 5.16). O verbo honrar segundo o Aurélio significa: “conferir honras a; dar crédito ou merecimento a; dignificar, enobrecer, estimar” (FERREIRA, 2004, p. 1055).  Logo, honrar implica em mais que submeter-se e obedecer as orientações dos pais, é também tê-los em grande estima pelo que são e pelo investimento que fazem na vida dos filhos (HAMILTON, 2006, p. 223).                                                                     

2.2 Honrar os pais contém uma rica promessa (Êx 20.12-b). Todo mandamento tem um benefício implícito (Lv 18.5; Dt 28; Is 1.19). Todavia, a ordem de honrar pai e mãe tem um benefício explícito: “para que se prolonguem os teus dias na terra que o Senhor teu Deus te dá”. Este expressão pode ser entendida como referindo-se tanto à estada de Israel na terra prometida, quanto à vida do indivíduo. Portanto, os indivíduos infiéis a Deus que desrespeitavam seus pais não teriam vida longa na Terra Prometida (MOODY, sd, pp. 48,49). Em oposição a filosofia pós-moderna, a Palavra de Deus nos instrui à obediência, a considerar aquilo que os pais dizem. Muitos filhos estão pagando alto preço por causa da desatenção que deram às palavras dos seus pais. Essa mensagem deve ser reafirmada nos dias atuais, os filhos precisam saber que poderão colher frutos amargos se decidirem contrariar a orientação de seus pais.

2.3 Honrar os pais e obedecer ao próprio Deus. Desobedecer aos pais é desobedecer a Deus, pois estão investidos de autoridade divina sobre a vida dos filhos e receberam de Deus a responsabilidade pelo bem-estar deles. A observação “porque isto é justo” (Ef 6.1) ou “porque isto é correto”, significa tratar-se de uma lei natural que existe desde o princípio do mundo. Deus já havia colocado a sua lei no coração de todos os homens, mesmo antes de se revelar a Moisés no Sinai (Rm 1.19; 2.14,15). A promessa aos filhos que honram e obedecem aos pais, descrita no Decálogo, é a longevidade: “para que se prolonguem os teus dias na terra que o SENHOR, teu Deus, te dá” (Êx 20.12). A passagem paralela de Deuteronômio acrescenta o sucesso econômico: “para que te vá bem” (Dt 5.16). O apóstolo Paulo deliberadamente combina as palavras do quinto mandamento em ambos os textos do Decálogo, Êxodo e Deuteronômio: “Honra a teu pai e a tua mãe, que é o primeiro mandamento com promessa, para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra” (Ef 6.2,3). 

III – O PRINCÍPIO DO RESPEITO AOS REPRESENTANTES DE DEUS NO LAR

Honrar aos progenitores não somente é uma forma de piedade elevada, como também é uma regra social de suprema importância, pois os conflitos domésticos naturalmente têm reflexos sobre a sociedade como um todo. Visto que os pais atuam como representantes de Deus no seio da família, este quinto mandamento, na realidade, é uma aplicação dos dois primeiros mandamentos. Assim, honrar a Deus implica em honrar aos pais. A solidariedade familiar jamais poderá tornar-se um fato nos lugares onde houver filhos desobedientes, que tentem escusar sua voluntariedade às custas dos pais (CHAMPLIN, 2006, vol 1, p. 392). Aos filhos que estão na igreja, a admoestação bíblica é a de que honrem seus pais, a menos que esses se interponham ao discipulado de Cristo (Mt. 10.37).

3.1 Antigo Testamento. Dentro do contexto hebreu, honrar os próprios pais era uma parte vital da existência. O cuidado com os pais era um elemento básico da responsabilidade em sociedade e da divina misericórdia para com Israel. Um filho que ousasse ferir seus pais sofria a pena de morte (Êx 21.15). Idêntico castigo cabia a quem amaldiçoasse qualquer de seus pais (Êx 21.17; Lv 20.9). A infâmia desse pecado foi claramente estabelecida na lei registrada em Deuteronômio 21.18-21. Os provérbios de Israel ampliaram devidamente a magnitude desse crime (Pv 19.26; 20.20; 30.11,17). Temos alguns exemplos bíblicos de filhos que desonraram seus pais e se prejudicaram por isso (Gn 49.3,4; Jz 14.1-3); seu casamento foi um fracasso (Jz 14.18-20; 1Sm 2.22-25; 2Sm 13.23-32).

3.2 Novo Testamento. O Senhor Jesus enfatizou o quinto mandamento, exortando a honrar pai e mãe (Mt 15.3-6; Mc 7.10-13). Desde muito pequeno mostrou sujeição completa aos seus pais terrenos (Lc 2.50,51). Como honrar os pais é um mandamento moral, o NT o preserva e incentiva o relacionamento respeitoso entre filhos e os pais (Ef 6.2). Abaixo veremos as duas recomendações do apóstolo Paulo quanto a observação deste mandamento: “Vós, filhos, sede obedientes a vossos pais no Senhor, porque isto é justo”  (Ef 6.1). A palavra “obedecei” no original grego quer dizer: “seguir, estar sujeito a”. Fica subentendido que aos filhos é ordenado, que sejam justos e estejam sujeitos aos pais (CHAMPLIN, 2006, vol. 4, p. 634). A expressão justo no grego “dikaios” por sua vez, significa “costume, regra, direito”. Este é o padrão de santidade que deve permear a vida de todo aquele que serve a Deus (1Jo 2.29; 3.7,10). 

IV – REBELDIA CONTRA OS PAIS UMA CARACTERÍSTICA DOS ÚLTIMOS DIAS

“Sabe, porém, isto: que nos últimos dias sobrevirão tempos trabalhosos” (2Tm 3.1-a). O presente texto nos mostra Paulo profetizando que os últimos dias da Igreja na terra seriam marcados uma onda esmagadora de dificuldades, conforme a expressão “tempos trabalhosos” no grego “chapelos” que quer dizer: “duro; difícil; custoso”. O apóstolo elenca as características maldosas dos homens com a proliferação do pecado e entre elas destaca que eles serão “desobediente a pais e mães” (2Tm 3.2). “Temos aqui um pecado tão moderno e comum em nossos dias, que nem choca mais os nossos ouvidos. No entanto, tal pecado era extremamente chocante para os antigos judeus, com seu código moral muito estrito em certos particulares, o que fazia com que esse pecado fosse considerado por eles como uma falta gravíssima”. Literalmente traduzida, essa palavra grega significa “incapazes de serem persuadidos pelos pais”. Esse pecado é uma maldição para o desenvolvimento harmonioso da família, estendendo-se a comunidade inteira dos homens, servindo de verdadeira praga da sociedade” (CHAMPLIN, 2006, vol 4, p. 585 – acréscimo nosso).

V – ATITUDES QUE OS FILHOS DEVEM TER PARA COM OS PAIS

Honrar pai e mãe é mandamento divino, e não sugestão humana (Êx 20.12; Dt 5.16; Mt 15.4). O verbo honrar é um imperativo intensivo (Nm 22.15). É usado no AT com vários significados e um deles diz respeito ao temor, ao reconhecimento de autoridade; em nosso contexto, refere-se a alguém merecedor de respeito, atenção e obediência (Lv 19.3). A Bíblia Sagrada, nossa única regra de fé e prática nos orienta quanto ao procedimento que devemos ter para os nossos pais, tais como: (a) honrá-los (Êx 20.12; Ef 6.2); (b) obedecê-los (Ef 6.1; Cl 3.20); (c) amá-los (Mt 10.37; Mt 22.39); e (d) assisti-los em suas necessidades (Mt 15.3-6; Mc 7.10-13).

O sentido de deixar pai e mãe quando se casa (Gn 2.24) é a construção de um novo lar, e não o abandono dos pais. Deus é justo e retribuirá tudo o que o filho fizer com o pai e com a mãe. Quem age dessa forma está semeando para o seu próprio futuro, pois colherá isso na velhice. Há inúmeros exemplos no AT da responsabilidade do filho em cuidar do sustento dos pais (Gn 47.12; Js 2.13,18; 6.23; 1Sm 22.3). O Senhor Jesus citou e viveu este mandamento (Mt 15.4, 5; 19.19; Mc 7.10-12; Lc 2.51). Quem cuida do pai e da mãe já está fazendo a obra de Deus; o cuidado da família deve ser prioritário, só depois é que vem a Igreja (1Tm 5.8). Esse é o pensamento cristão, que muitas vezes, infelizmente, é invertido entre nós.

CONCLUSÃO

Vivemos dias difíceis onde o maligno tem tentado destruir a honra que os filhos devem dar aos pais, desconstruindo o princípio de autoridade estabelecido pelo próprio Deus. Todavia, devemos entender que honrar pai e mãe é uma obrigação moral que deve ser cumprida com amor, alegria e voluntariedade. 

REFERÊNCIAS

ADEYEMO, Tokunboh. Comentário Bíblico Africano. Mundo Cristão.

CHAMPLIN, Russell Norman, Enciclopédia de Bíblia Teologia e Filosofia. Vol. 4.HAGNOS.

CHAMPLIN, Russell Norman, O Novo Testamento Interpretado versículo por versículo. HAGNOS.

COELHO, Alexandre e DANIEL, Silas. Vencendo as Aflições da Vida. CPAD. 

Esequias Soares. Os Dez Mandamentos. Valores Divinos para uma Sociedade em Constante Mudança. CPAD. 

HENRY. Matthew. Comentário Matthew Henry Antigo Testamento Josué a Ester. Editora CPAD. 

PFEIFFER, Charles F. Comentário Bíblico Moody: Daniel. Editora Batista Regular. 

RADMACHER, Earl D. O Novo Comentário Bíblico Novo Testamento. Editora Central Gospel Ltda. RICHARDS. Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia. Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. CPAD. 

STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal.  CPAD.

VINE, W.E, et al. Dicionário Vine. CPAD.

Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.