Texto: (1 Sm 18.3,4; 19.1,2; 20.8,16,17,31,32)

INTRODUÇÃO

Nesta lição estudaremos sobre Jônatas – um personagem pouco explorado nas Escrituras. Traremos informações acerca do seu nome, quem eram seus familiares; veremos algumas características deste que era o filho mais velho de Saul; destacaremos importantes traços do seu caráter; sua aliança com Davi, seu grande e estimado amigo; e, por fim, pontuaremos que a sua lealdade a Davi foi recompensada quando este ajudou seu filho Mefibosete.

I – INFORMAÇÕES SOBRE JÔNATAS

1.1 Nome. Nome que no hebraico é composto de duas palavras, a primeira é “Ya” uma abreviação do nome Yahweh; a segunda é “natã” que significa “dar”. Logo, o nome completo quer dizer: “O Senhor tem dado”. Era um nome comum entre os israelitas em todos os períodos (Jz 18.30; 2 Sm 23.32; 1 Rs 1.42; 1 Cr 2.32).

1.2 Seus pais. Jônatas era filho de Saul e Ainoã (1 Sm 14.50). Saul foi o primeiro rei de Israel, e Jônatas era o primogênito e legítimo herdeiro do trono, já que o reino era hereditário (1 Cr 8.33; 9.39). Mas, por causa da desobediência de seu pai, Deus transferiu o reino para Davi (1 Sm 15.28,35; 16.1).

1.3 Sua família. Jônatas era casado, pois a Bíblia registra que ele teve um filho: “e o filho de Jônatas foi Meribe-Baal, e Meribe-Baal gerou a Mica” (1 Cr 9.40). Meri-Baal também era chamado de Mefibosete (2 Sm 4.4; 9.6).

II – CARACTERÍSTICAS DE JÔNATAS

Jônatas era um homem de coragem, sabedoria e honra, com o potencial de ser um dos maiores reis de Israel. Vejamos algumas de suas características:

2.1 Um filho obediente. Jônatas foi um filho obediente ao seu pai Saul. Nada o rei fazia sem contar a Jônatas (1 Sm 20.2). Mesmo quando Saul havia sido rejeitado por Deus para ser rei, manteve-se ao seu lado como um fiel companheiro: “Saul e Jônatas, tão amados e queridos na sua vida, também na sua morte não se separaram” (2 Sm 1.23).

2.2 Um valente guerreiro. A destreza de Jônatas como guerreiro é evidente em toda narrativa de sua história, principalmente em 1 Samuel 13.1-23 e 14.1-13. Com dois anos de governo Saul escolheu três mil homens para formarem o exército (1 Sm 13.1). Dois mil ficaram com ele e mil ficaram sob a liderança de Jônatas que não tardou em atacar os filisteus (1 Sm 13.2,3). A maior parte das vitórias de Israel deu-se sob o comando de Jônatas. Mais tarde quando veio a falecer no monte Gilboa, Davi tomou conhecimento, lamentou, chorou e fez referência em seu lamento a habilidade deste como guerreiro, dizendo que era “mais ligeiro que a águia e mais forte que o leão” (2 Sm 1.22,23).

2.3 Um soldado benquisto pelo povo. Por causa de seu êxito nas investidas contra os inimigos de Israel, Jônatas era amado pelo povo (1 Sm 14.45). Jônatas morreu como um soldado, lutando bravamente por sua pátria, por isso o sepultaram-no dignamente (1 Sm 31.12,13).

III – TRAÇOS DO CARÁTER DE JÔNATAS

3.1 Uma pessoa de fé. Na ocasião em que os filisteus estavam cercando Israel, junto com um soldado, Jônatas fez uma investida contra uma parte do exército inimigo (1 Sm 14.1). Sem que o seu pai e o povo soubesse (1 Sm 14.1,3) ele deslocou-se até a guarnição dos filisteus e entre duas pedras agudas (1 Sm 14.4) disse aos seu moço que estava com ele: “[...] Vem, passemos à guarnição destes incircuncisos; porventura operará o SENHOR por nós, porque para com o SENHOR nenhum impedimento há de livrar com muitos ou com poucos” (1 Sm 14.6). Diferente de seu pai Saul, Jônatas mostrava ter fé verdadeira no Senhor. Destaca-se ainda que antes de atacar, ele esperou um sinal de que o Senhor estaria com ele (1 Sm 14.8-10). Deus confirmou dando-lhe este sinal e o fez prosperar na batalha (1 Sm 14.11-15).

3.2 Um homem humilde. Após a derrota do gigante filisteu por Davi, Jônatas nutriu por ele uma amizade sincera (1 Sm 18.1,3), e demostrou isso lhe presenteando com a sua vestimenta de guerreiro (1 Sm 18.4). Isto nos revela uma atitude de humildade. Lima (2017, p. 64) nos diz que este ato: “indica que ele consciente e amorosamente transferiu o direito ao trono a seu amigo Davi”. Além disso, Jônatas não ficou ressentido por ver Davi prosperar nas batalhas mais do que ele, seu pai Saul e os soldados do exército e de conquistar a simpatia do povo (I Sm 18.5). Pelo contrário, apesar de ser o filho mais velho de Saul, e naturalmente o herdeiro do trono após a sua morte, entendeu que Davi deveria ser rei (1 Sm 23.17). Já Saul, ao ouvir o cântico das donzelas sobre a prosperidade de Davi, teve inveja e começou a persegui-lo (1 Sm 18.6-9).

3.3 Um amigo leal. Jônatas não se revela apenas como uma pessoa de fé e humildade, mas também como amigo leal (1 Sm 18.3; 19.1). O adjetivo “leal” segundo Aurélio (2004, p. 1189) significa: “sincero, franco e honesto. Fiel aos seus compromissos”. Champlin (2004, p. 746) nos diz: “ser leal é ser fiel em qualquer relacionamento; é confiar e ser digno de confiança; é oferecer e receber verdadeira lealdade e devoção”. Mas, em que ocasiões vemos a lealdade de Jônatas? Citaremos algumas: (a) na ocasião que explicitamente, Saul por inveja, mandou Jônatas e os seus soldados matarem Davi (I Sm 19.1). Jônatas não somente se negou a fazê-lo, mas anunciou a Davi para que escapasse, e ainda persuadiu o seu pai, a não realizar tão grande mal (I Sm 19.2-6); (b) a ira de Saul contra Davi retornou e ele tentou novamente matá-lo (1 Sm 20.1). Ao ser informado, Jônatas dessa vez não acreditou, mas acertou com Davi para ver se de fato era assim (1 Sm 20.4-13). Jônatas conferiu a informação que era verdadeira e procurou noticiar a Davi, livrando-o assim da morte novamente (1 Sm 20.35-43); e, (c) nesta mesma ocasião, Jônatas quase morreu por perguntar ao seu pai, o porque do ódio contra Davi (1 Sm 20.32,33). Quando foi obrigado a escolher entre o pai e Davi, Jônatas ficou ao lado do amigo, o qual reconhecia como o escolhido do Senhor (1 Sm 23.17). Embora nunca tenha abandonado seu pai (2 Sm 1.23). Precisamos ser leais em todas as áreas da nossa vida: a Deus, ao nosso semelhante, e, aos nossos compromissos (Pv 3.3; 28.20; Lc 16.10; Tt 2.10).

IV – A ALIANÇA ENTRE JÔNATAS E DAVI

Consta na narrativa histórica dos Livros de Samuel diversas vezes que Jônatas e Davi fizeram aliança entre si                    (1 Sm 18.3; 20.16; 23.18). Principalmente em 1 Samuel 20.14-17 uma aliança entre Davi e Jônatas surgiu, a qual enfatizou a atitude de Davi em relação a Jônatas e seus descendentes. Jônatas reconheceu que Davi seria o próximo rei, e pediu que Davi jurasse que teria misericórdia de sua casa. Champlin (2004, p. 1999) nos diz que “Jônatas temia o que poderia acontecer a seus filhos órfãos. Era costume no Oriente, em todas as épocas, quando uma dinastia era violentamente mudada, o novo rei tirar a vida de toda a família do ex-monarca”. Abimeleque fez o possível para que ninguém sobrasse da casa de Gideão (Jz 9.5); o mesmo aconteceu com Atalia, que não quis que alguém sobrevivesse da semente real (2 Cr 22.10,11). Davi, no entanto, manteve esta aliança e provou ser verdadeiro para com o seu amigo (2 Sm 9.1-13). 

V - A RECOMPENSA DA LEALDADE

Apesar de Davi ter sofrido muitas perseguições de Saul (1 Sm 18.10,11; 21-22,29; 19.1; 9-10) e de ter oportunidade de matá-lo, duas vezes (I Sm 24.3-12; 26.8-11), mostrou-se benigno não lhe fazendo mal nem a sua descendência. Pelo contrário, quando estava no trono Davi decidiu beneficiar alguém que restou da família de Saul, por amor de Jônatas seu amigo (2 Sm 9.1,7), como veremos a seguir:

5.1 A lembrança de Davi (2 Sm 9.1). Davi havia alcançado o alto posto de monarca segundo a promessa de Deus (I Sm 16.13; 2 Sm 8.15). No entanto, mesmo nesta alta posição não havia esquecido de onde veio e a aliança que fez com seu amigo Jônatas quando ainda não era rei: “e disse Davi: Há ainda alguém que tenha ficado da casa de Saul, para que lhe faça benevolência por amor de Jônatas? Isso aconteceu bem depois de sua ascensão ao trono porque, pelo que tudo indica, Mefibosete, que tinha apenas 5 anos de idade quando Saul morreu, já era pai de um filho nessa ocasião (2 Sm 9.12).  Davi foi avisado por um servo de Saul, chamado Ziba, que havia ainda vivo um filho de Jônatas, chamado de Mefibosete que era coxo de ambos os pés (2 Sm 9.2,3). Então Davi mandou chamá-lo (2 Sm 9.4,5).

5.2 A misericórdia de Davi (2 Sm 9.1,3,7). Ao invés de chamar algum descendente da família de Saul para executar, Davi convoca para usar de misericórdia. Em 2 Sm 9.1 Davi fala de “beneficência”; em 2 Sm 9.3 de “benevolência de Deus”; e, em 2 Sm 9.7 ele fala de “benevolência”. Matthew Henry (2010, p. 380 – acréscimo nosso) diz: “a beneficência que Davi prometeu mostrar é: (a) beneficência em busca de cumprir a aliança que havia entre ele e Jônatas, da qual Deus era testemunha (1 Sm 20.42); (b) beneficência em relação ao exemplo de Deus; pois devemos ser misericordiosos como Ele o é (Sl 17.7; 103.2; Lc 6.36); e, (c) Essa beneficência tem um caráter piedoso, tendo um olho em Deus, bem como na sua honra e favor (Mt 5.16; 1 Pe 2.12).

5.3 A lealdade de Davi (2 Sm 9.9). Quando Davi chamou Mefibosete a sua presença, ele veio temendo e tremendo, por certo pensando que o rei o executaria, pois era o único que sobrara da descêndência de Saul (2 Sm 9.6). No entanto, Davi o apazigua dizendo: “Não temas, porque decerto usarei contigo de benevolência por amor de Jônatas, teu pai [...]”. Em seguida o rei Davi lhe concedeu: (a) um servo para ajudá-lo (2 Sm 9.9,10); (b) restituiu as terras de seu avô e seu pai (2 Sm 9.7-a); e, (c) lhe concedeu um lugar a mesa, como um dos filhos do rei (2 Sm 9.11).

CONCLUSÃO

Aprendemos com Jônatas que devemos nutrir boas amizades e agirmos com lealdade a Deus e nos nossos relacionamentos. Na vida as nossas atitudes sejam boas ou más, são como semente que lançamos dia a dia no terreno da nossa vida. Mais cedo ou mais tarde teremos que colher o fruto das nossas decisões. 

REFERÊNCIAS

CHAMPLIN, R. N. Dicionário de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS. 

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. POSITIVO.

LIMA, Elinaldo R. de. O Caráter do Cristão. CPAD.

STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal.  CPAD.

Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.