Texto: (Gn 25.28-34; 32.24,27,28,30)

INTRODUÇÃO

Nesta lição veremos o significado do nome Jacó; pontuaremos os aspectos do caráter deste personagem antes do encontro com Deus; apontaremos também o significado do nome Israel; e por fim, analisaremos os aspectos do caráter de Jacó depois do encontro com Deus no vale de Jaboque.

I - DEFINIÇÃO DO NOME JACÓ

O sentido primeiro e original do nome de Jacó, que, em hebraico, é “Yaakov”, significa: “Deus protege”. Segundo o relato bíblico de Gênesis 25.26, Jacó nasceu agarrado ao calcanhar do seu irmão, e por causa disso, o seu nome  transformou-se num apelido: “aquele que segura pelo calcanhar” (LIMA, 2017, p. 51). Segundo Paul Hoff (1995, p. 29), a palavra Jacó passou a significar: “enganador” ou “suplantador” porque mais tarde Esaú seu irmão, o interpretou assim. Para Gardner (2005, p. 292), por muito tempo foi a marca registrada do caráter de Jacó o oportunismo, e a luta para tirar vantagem desonestamente. Já Strong (2011, p. 1687), diz que o nome Jacó significa: “agarrador de calcanhar”. Alguns teólogos dizem que Jacó significa ainda: “substituto, trapaceiro, fraudador, enganador”. 

II - ASPECTOS DO CARÁTER DE JACÓ ANTES DO ENCONTRO COM DEUS

Jacó integra a lista dos três patriarcas hebreus que marcaram a história de Israel: Abraão, Isaque e Jacó. Sua história foi pontilhada de episódios dramáticos desde o seu nascimento. Jacó tinha tremendos problemas de caráter, era enganador, oportunista e ganancioso (Gn.27.18-29, 42-43). Os gêmeos Esaú e Jacó não eram diferentes apenas em aparência, mas também em personalidade. Jacó e Esaú já haviam lutado antes de nascer e, durante o parto, Jacó agarrou o calcanhar de seu irmão. Esse gesto foi interpretado como indicação de que Jacó faria seu irmão tropeçar e se aproveitaria dele (WIERSBE, 2010, p. 151). Notemos:

2.1 Jacó: um homem de caráter oportunista. Antes de seu nascimento, Jacó havia sido escolhido por Deus para receber o direito de herança e a bênção (Gn 25.22,23). Assim, não havia necessidade alguma de elaborar tramas nem de se aproveitar do irmão. Quando seu Esaú chegou com fome e pediu-lhe para comer do seu guisado, ele poderia ter-lhe oferecido de sua comida, compartilhando sua refeição. No entanto, numa prova de oportunismo e ambição, disse logo: “Vende-me, hoje, a tua primogenitura” (Gn 25.31) (LIMA, 2017, p. 56 – grifo nosso). Aí, podemos ver duas atitudes que demonstram o caráter respectivo dos dois irmãos. De um lado, vemos Jacó usando de esperteza e ambição. De outro, vemos Esaú desprezando o precioso direito de primogenitura (LIMA, 2017, p. 50).

2.2 Jacó: homem de caráter aproveitador. O primogênito era santificado ou consagrado a Deus (Êx 13.2, Nm 3.13; Lc 2.23; Nm 3.12); a herança do primeiro filho era o dobro do que os demais filhos receberiam (Dt 21.17); o primeiro a nascer tinha o direito de assumir a liderança do pai sobre o grupo, o clã, a tribo ou o reino (2Rs 3.27). Jacó poderia ter compartilhado da sua sopa com seu irmão, que estava faminto e cansado, mas não fez isso. Ele aproveitou-se da ocasião para obter um direito que, pela Lei, não era dele, querendo, de fato, usurpar o direito de primogenitura do seu irmão (LIMA, 2017, p. 50). 

2.3 Jacó: homem de caráter enganador. Jacó tornou-se enganador e farsante querendo desesperadamente, ser amado e aceito por seu pai, estando disposto a fazer qualquer coisa para ganhar a aprovação de Isaque, mesmo que isso significasse enganar […] Jacó seguindo o mau exemplo da mãe, enganou seu pai, mentiu, enganou e usou o nome de Deus em vão (Gn 27.14-25) (BUSIC apud LIMA, 2017, p. 52).

2.4 Jacó: um homem de caráter calculista. Conhecedor do comportamento leviano do irmão, Jacó não apenas propôs trocar algo tão insignificante, como um prato de sopa de lentilhas, por algo tão valioso, como também exigiu que Esaú fizesse um juramento que garantisse que sua troca seria respeitada por toda a vida. “Então, disse Jacó: Jura-me hoje. E jurou-lhe e vendeu a sua primogenitura a Jacó” (Gn 25.33; Hb 12.16). Só depois do juramento “[...] deu pão a Esaú e o guisado das lentilhas” (Gn 25.34) (LIMA, 2017, p. 56).

2.5 Jacó: um homem de caráter fraco. Jacó já não era mais um adolescente; porque, quando foi induzido por sua mãe a mentir e enganar seu pai ele sabia que tal proposta era errada (Gn 27.11,12). Sua mãe insistiu na prática do erro, chamando para si a maldição daquele engano, daquele arranjo fraudulento. Jacó, por sua vez, não teve força moral para ficar firme e, mesmo contrariado, fez tudo o que sua mãe lhe obrigara (Gn 27.6-17). Um filho deve honrar seus pais, pois é mandamento de Deus (Ef 6.1), mas não tem obrigação de compactuar com a mentira e a trapaça (Ef 5.10,11) (LIMA, 2017, p. 57).

2.6 Jacó: um homem de caráter mentiroso. Ao chegar à presença de Isaque, que estava cego, este perguntou: “Quem és tu, meu filho?” (Gn 27.18). Era a hora da verdade, ainda assim, Jacó mentiu sobre seu nome: “Eu sou Esaú, teu primogênito. Tenho feito como me disseste [...]” (v. 19). Onde estava o temor de Deus na vida de Jacó? Responder ao pai que era o irmão? Isaque ficou admirado, pensando ser Esaú, e também como teria retornado tão rápido com a caça. Mais uma vez mentiu sobre a comida e sobre o Senhor: “Porque o Senhor, teu Deus, a mandou ao meu encontro” (v. 20). Ao abraçar Jacó, Isaque disse: “A voz é a voz de Jacó, porém as mãos são as mãos de Esaú” (v. 22). Confuso, Isaque perguntou: “Es tu meu filho Esaú mesmo?”  (v. 24), e assim Jacó mentiu novamente sobre sua identidade: “[…] e ele disse: Eu sou” (vs 24-29). Depois que Isaque havia terminado a refeição, pediu a Jacó que o beijasse, e esse beijo foi a sexta mentira. Como Jacó podia afirmar que amava o pai enganando-o? (WIERSBE, 2010, p. 158).

2.7 Jacó: um homem de caráter briguento. No currículo da vida de Jacó várias lutas existiram por isso o texto diz: “[…] porque lutaste com Deus e com os homens [...]” (Gn 33.28). Vejamos essas lutas em sua vida: a) lutou com seu irmão no ventre de sua mãe (Gn 25-27), b) lutou com seu pai (Gn 27), c) lutou com seu sogro (Gn 29-31), d) lutou com suas esposas (Gn 30), e, por fim, e) lutou com Deus em Peniel (Gn 33).

III - DEFINIÇÃO DO NOME ISRAEL

No antigo Israel, mantinha-se o costume de associar o nome ao caráter pessoal. A Bíblia registra, em algumas passagens, Deus substituindo nomes em razão de uma mudança de caráter (STAMPS, 1995, p. 85). O nome Israel é derivado do hebraico “Yishrael”, cuja composição é realizada a partir da soma dos vocábulos “yishra”, que pode ser traduzido como “lutador” ou “príncipe”, e “El”, cuja principal significado é “Deus”. O nome Jacó “enganador” agora foi mudado para “príncipe que luta com Deus” ou “príncipe que vê Deus”. Israel é categorizado como um nome teofórico (nome que contém elementos alusivos a Deus), a expressão “Theo” vem do grego e significa “Deus” e a palavra “fórico” quer dizer “carregar, possuir, portar” (Bíblia de Estudo da Reforma, 2017, p. 69).

IV - ASPECTOS DO CARÁTER DE JACÓ DEPOIS DO ENCONTRO COM DEUS

4.1 Jacó: um homem de caráter transformado. Todo homem tem oportunidade de mudar quando ele tem um encontro com Deus. Jacó necessitava de uma mudança, e para transformar essa situação seria necessário “ver a face de Deus”. No encontro com Deus o homem nunca sai como entrou, Jacó entrou como “enganador” no vau Jaboque (lugar de travessia, lugar de esvaziamento), e lá recebeu um novo caráter, e um novo nome. Não pode haver transformação enquanto não formos “esvaziado” do velho homem. Chega a hora em que precisamos “resolver as coisas com Deus”, pois o nosso Jaboque tem de ser enfrentado a sós (Gn 32.24-a), e temos que nos esvaziar de todos maus desejos e ambição. Depois de Jaboque veio Peniel (face de Deus) e o velho Jacó saiu como “Israel” (Gn 32.27,28), e o encontro com Deus transformou o velho Jacó num novo homem com um novo nome. É impossível ter um encontro com Deus e não mudar (Os 12.4,5) (MACARTHUR, 2010, p. 62).

4.2 Jacó: um homem de caráter agradecido. Surpreendentemente, Jacó passou a ver as coisas numa perspectiva espiritual de um novo relacionamento com Deus e fez-lhe um voto, dizendo: “[...] Se Deus for comigo, e me guardar nesta viagem que faço, e me der pão para comer e vestes para vestir, e eu em paz tornar à casa de meu pai [...] de tudo quanto me deres, certamente te darei o dízimo” (Gn 28.20-22). Nesse fato, vemos que Jacó tinha consciência do valor do dízimo como expressão sincera de gratidão a Deus, a exemplo do que fizera Abraão, seu avô, perante Melquisedeque (Gn 14.18-20). A atitude de Jacó demonstra sua gratidão a Deus de forma antecipada.

4.3 Jacó: um homem de caráter esforçado. Ao chegar à casa de Labão, seu tio, Jacó revelou-se um homem trabalhador. Em lugar de receber um salário em dinheiro, preferiu trabalhar sete anos por Raquel, a quem amava. Mas, na noite de núpcias, ele experimentou, em termos de engano, o resultado daquilo que plantara. Jacó foi enganado pelo sogro e, em lugar de casar-se com Raquel, acabou casando-se com Léia. Só depois de mais sete anos de trabalhos foi que Jacó casou-se com Raquel, sua amada (Gn 29.21-30), e ainda Labão “mudou o seu salário dez vezes” (Gn 31.7).

4.4 Jacó: um homem de caráter na direção de Deus. Após ser enganado pelo sogro, Jacó reuniu sua família e fugiu de Harã. Sua saída de Harã foi por direção de Deus, com quem ele aprendeu a relacionar-se. “E disse o Senhor a Jacó: Torna à terra dos teus pais e à tua parentela, e eu serei contigo” (Gn 31.3). Ao explicar o plano de fuga à família, Jacó repetiu o que ouvira da parte de Deus: “Eu sou o Deus de Betel, onde tens ungido uma coluna, onde me tens feito o voto; levanta-te agora, sai-te desta terra e torna-te à terra da tua parentela” (Gn 31.13).

4.5 Jacó: um homem de caráter quebrantado e temente a Deus. Jacó lembrou-se do passado e de sua desavença com o irmão e, temeroso, dividiu a família em dois bandos para que um pudesse escapar em caso de ataque. Sua angústia era grande, porém sua oração revela seu temor “[…] sou indigno de todas as beneficências e de toda a fidelidade que tens usado para com teu servo[...]” (Gn 32.9-12). Ele enviou três grupos de servos, cada um levando presentes para aplacar uma possível agressão por parte de Esaú, mas somente o pedido de perdão resolveu o problema (Gn 32.11-21). A experiência do encontro de Jacó com Esaú mostra que, quando Deus age na vida das pessoas, seu caráter é transformado. Jacó orou ao Senhor (Gn 32.11,12), ele inclinou-se em terra (Gn 33.3), e abraçou e beijou seu irmão recebendo perdão (Gn 33.4) (LIMA, 2017, pp. 59,60). 

CONCLUSÃO

A vida de Jacó foi totalmente transformada depois que ele atravessou o vale de Jaboque e encontrou-se com Deus. Existem “vales” em nossas vidas que servem para transformação de nosso ser, pois assim como Jacó, precisamos nos moldar e transformar nosso caráter para ficarmos com nossa personalidade como a de Cristo.

REFERÊNCIAS

Bíblia de Estudo Palavras Chaves. CPAD.

Bíblia de Estudo da Reforma. SBB.

Bíblia de Estudo MacArthur. SBB

LIMA, Elinaldo R. de. O Caráter do Cristão. CPAD.

HOFF, Paul. O Pentateuco. VIDA.

STAMPS, Donal C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.

Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.