Texto: (Gn 14.18-19; Hb 7.1-7,17)

INTRODUÇÃO

Nesta lição estudaremos sobre Melquisedeque, um dos personagens mais enigmáticos do Antigo Testamento; destacaremos algumas informações a seu respeito à luz da Bíblia; pontuaremos características de seu caráter; e por fim, veremos que Melquisedeque devido à sua justiça, prefigura a Cristo e ao seu sacerdócio no Novo Testamento.

I – INFORMAÇÕES SOBRE MELQUISEDEQUE

Devido a poucas informações a seu respeito, Melquisedeque tornou-se um homem enigmático; gerando algumas especulações sobre sua pessoa. Segundo Gardner, “um documento antigo, encontrado em Qunrã considerava Melquisedeque um ser angelical que ministrava o juízo de Deus. Outros o têm relacionado com Sem, filho de Noé, e até mesmo com o Messias, ou seja, que seria uma manifestação de Cristo em forma humana. Todas essas teorias, porém, são especulativas e sem fundamentação bíblica” (2005, p. 450 – grifo nosso). Portanto, notemos o que Bíblia informa a respeito dele:

1.1 Sua origem. Melquisedeque é a transliteração para o português, do termo hebraico “Malkisedeq”, que significa “rei de justiça” (CHAMPLIN, 2001, p. 210). A história de Melquisedeque é bastante resumida, ele é citado no primeiro livro do Pentateuco (Gn 14); num texto poético (Sl 110) e na parte doutrinária da Epístola aos Hebreus, no NT  (Hb 5 a 7) (GARDNER, 2005, p. 450). As palavras “sem pai, sem mãe, sem genealogia […]” (Hb 7.3); isso não quer dizer que Melquisedeque, na verdade não tinha pai nem mãe nem fim de governo, mas está fazendo uma comparação literária. Da mesma forma como o rei de Salém aparece subitamente em Gênesis 14, sem genealogia e sem menção de sua morte, assim também Cristo, na verdade, não teve princípio e não terá fim.

1.2 Seu ofício. Ele era rei de Salém (a antiga Jerusalém). Salém é a forma abreviada de Jerusalém e é encontrada pelo menos cinco vezes nas Escrituras (Gn 14.18; 33.18; Sl 76.2; Hb 7.1,2). O título Rei de Salém dado a Melquisedeque significa “rei de paz”; além de rei, também lhe é atribuído a função de sacerdote de “El Elyon”. O nome “El” era comumente aplicado a Deus entre os povos de origem semita, e tornou-se na Bíblia um dos nomes principais de Deus, “El Elyon” (Deus Altíssimo). Esta também é a primeira menção do termo sacerdote na Bíblia o que o tornava um rei-sacerdote, o que serviu mui apropriadamente para ilustrar o mesmo ofício, ocupado em forma muito mais significativa, pelo Senhor Jesus Cristo (CHAMPLIN, 2001, p. 210 – acréscimo nosso). 

1.3 Sua aparição na história. O capítulo 14 de Gênesis registra a primeira menção de um sacerdote, a primeira menção do dízimo e a primeira menção de uma guerra envolvendo nove reis (Gn 14.1-17). As cinco cidades-estados da planície do Jordão (Gn 14.2; 13.10) haviam se sujeitado a doze anos de governo sob os reis de quatro cidades-estados do Oriente (Gn 14.1) e acabaram revoltando-se contra elas. Isso representou uma declaração de guerra. Assim, os quatro reis invadiram a planície do Jordão para subjugar os cinco reis das cidades daquela região. Nessa batalha, Ló, sobrinho de Abraão, foi levado cativo (Gn 14.12). Ao saber disso, Abraão, então, armou seus criados e entrou na peleja para libertar seu sobrinho. Ao retornar da batalha, ele encontrou-se com Melquisedeque (Gn 18-24).

II – MELQUISEDEQUE E O SEU CARÁTER 

Muito embora sua participação na história tenha sido rápida, seu caráter se tornou um referencial. A importância desse personagem pode ser percebida na expressão usada pelo escritor aos Hebreus: “Considerai, pois, quão grande era este, a quem até o patriarca Abraão deu os dizímos dos despojos” (Hb 7.4). Vejamos portanto, algumas características de seu caráter:

2.1 Caráter justo. Sendo o seu nome por interpretação “rei de Justiça” (Hb 7.2), isso aponta para um traço do seu caráter; ao pertencer a uma sociedade marcada pelo paganismo e corrupção moral, Melquisedeque destaca-se por ser um homem justo. Segundo Renovato (2017, p. 35): “Para ser chamado de Rei de justiça, na Bíblia, ele foi, sem dúvida, um homem de Deus que soube pautar sua vida na vereda da justiça” (Sl 23.3; Pv 8.20). Justiça do hebraico “tsedeq”, e do grego “dike”, significam respectivamente: “atitude do que é justo; aquele que age de acordo com o padrão divino” (VINE, 2005, pp. 733,734 – grifo nosso). Sobre a justiça a Bíblia destaca que: (a) Deus é a fonte (Sl 35.24,28); (b) Deus exige que o homem a procure e a pratique imparcialmente (Is 1.17; 56.1; Mq 6.8); (c) é uma qualidade esperada de um líder (1Rs 10.9; Sl 119.121; Pv 8.15); (d) é uma evidência do Novo Nascimento (Lc 19.8; Ef 4.24). 

2.2 Caráter pacífico. Além de ser “rei de justiça”, Melquisedeque também era “rei de Salém”. A palavra “Salém” advinda da mesma raiz hebraica “shalom” que quer dizer “paz”, alude ao caráter pacífico desse personagem (Hb 7.2). Sua piedade pode ser evidenciada ainda pela assistência dada a Abraão após a batalha, dando-lhe pão e vinho, que aponta para um sinal de amizade e hospitalidade, um ato de comunhão e de paz entre ambos (Gn 14.18). O que vive em justiça, tem por natureza um caráter pacífico “E o efeito da justiça será paz […]” (Is 32.17); indicando que de fato é um verdadeiro filho de Deus “bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus” (Mt 5.9); que sua vida é controlada pelo Espírito Santo (Gl 5.16,18,25,22); que está trilhando o caminho da paz (Lc 1.79); fazendo com que se tenha comunhão com todos (Mc 9.50; Rm 12.18; Ef 4.3). “O escritor de Hebreus enfatiza o significado do nome e status de Melquisedeque para assinalar que ele e Cristo eram homens de justiça e paz” (Hb 7.1,2) (BEACON, 2012, p. 61).

2.3 Caráter fiel. Melquisedeque era cananeu, e como Jó, é um exemplo de um não israelita autêntico servo de Deus, podemos assim elencar algumas características que comprovam esse aspecto do seu caráter; (a) pelo conhecimento pessoal que tinha a respeito do ser de Deus, bem como sua adoração ao Criador, demonstrando sua fidelidade ao Deus verdadeiro (Gn 14.19,20); (b) pela atitude de abençoar o patriarca (Gn 14. 19-a).“A bênção aqui referida não é a simples expressão de um desejo relativo a outrem, o que pode ser feito de um inferior para um superior; mas, é a ação de uma pessoa autorizada a declarar intenções de Deus, conferindo boas dádivas de prosperidade a outrem. E, tal ação somente tem validade quando é feita por alguém que é superior” (SILVA, 2002, pp. 122,123); (c) e ainda, por ter recebido o reconhecimento de Abraão que lhe deu o dízimo de tudo (Gn 14.20-b). O patriarca teve sua vida marcada pelo “rei sacerdote”, a tal ponto, que usou a mesma expressão usada por Melquisedeque ao se referir ao Senhor “[…] Deus Altíssimo, o Possuidor dos céus e da terra” (Gn 14.19); ao se encontrar com o rei de Sodoma (Gn 14.22).

2.4 Caráter santo. Do hebraico “qadosh”, e do grego “hagios”, ambos significam basicamente “puro, dedicado, separado” (VINE, 2002, pp. 280, 970). O aspecto santo do caráter de Melquisedeque é destacado por sua identificação como “sacerdote do Deus Altíssimo” (Gn 14.18-b; Sl 110.4; Hb 5.6). Sacerdote, termo que no hebraico é “kohen”, era o ministro divinamente designado, cuja função principal era representar o homem diante de Deus (Êx 28.38; 30.8). Por ter esse ofício, pressupõe que sua vida era destinada única e exclusivamente ao serviço divino; vivendo de forma abnegada com o propósito de agradar ao que lhe confiou tamanha responsabilidade. Agora na Nova Aliança por meio de Jesus Cristo, todo crente é constituído sacerdote para o serviço de Deus (Ap 1.6; 5.10; 20.6); tendo por necessidade à semelhança de Melquisedeque, viver uma vida santa, justa e irrepreensível (1Pe 1.14-17; 2.5,9).

III – MELQUISEDEQUE UMA FIGURA DE CRISTO

3.1 Jesus e seu Sacerdócio superior. O escritor aos Hebreus a respeito do sacerdócio de Cristo diz: “chamado por Deus sumo sacerdote, segundo a ordem de Melquisedeque” (Hb 5.10). O que significa que Cristo é anterior e superior a Abraão, a Levi e aos sacerdotes do Antigo Pacto (Jo 8.56-58). Melquisedeque, como protótipo de Cristo, estava revestido de grande dignidade. Por isso, abençoou Abraão e recebeu dele o dízimo (Hb 7.1,2). Melquisedeque é superior a Abraão, pois recebeu dízimo até mesmo de Levi, representado figuradamente pelo patriarca (Hb 7.4-10). Melquisedeque era mais importante que Levi e seus descendentes, cujo sacerdócio era temporário (Hb 7.4-10). Mas, o sacerdócio de Cristo é eterno (Hb 7.3,17). 

3.2 Jesus e seu Sacerdócio eterno. Melquisedeque de acordo com o escritor aos Hebreus: “não possuía genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida” (Hb 7.3). Segundo Beacon (2006, p. 62): “As descrições sem pai, sem mãe, sem genealogia, não tendo princípio de dias nem fim de vida, devem ser entendidas em referência à ordem do sacerdócio de Melquisedeque, não à sua pessoa física. Não havia registro da sua data de nascimento ou da sua morte. Neste sentido, ele foi feito semelhante ao Filho de Deus; sendo uma tipologia de Cristo que é eterno” (Jo 1.1; Hb 13.8). Cristo, portanto, é rei da justiça e da paz no mais amplo sentido, e sacerdote “semelhante a” ou “da ordem de” Melquisedeque (Hb 7.15), isto é, sacerdote para sempre! (BRUCE, 2012, p. 1446 – grifo nosso). 

CONCLUSÃO

Em uma época em que a nossa sociedade atravessa diversas crises, entre elas, de caráter; Melquisedeque ao marcar sua  geração como um autêntico servo de Deus, em meio à corrupção e idolatria, tornou-se um exemplo para todos nós, que  queremos viver de forma justa, pacífica e com fidelidade.

REFERÊNCIAS

ANDRADE, Claudionor de. O Começo de Todas as Coisas. CPAD.

BEACON. Comentário Bíblico Hebreus a Apocalipse. CPAD

BRUCE, F.F. Comentário Bíblico NVI. VIDA

CHAMPLIN, R. N. Dicionário de Bíblia, Teologia e Filosofia. HAGNOS. 

GARDNER, Paul. Quem é quem na Bíblia. VIDA

STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. CPAD.

VINE, W.E et al. Dicionário Vine. CPAD

Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.