E o dia começou cedo na Arena de Pernambuco. Aliás, foram dias de preparação pré-evento. Em algumas vezes até meses, como no caso do Grande Coral do Centenário, que este ano foi formado por 2.100 vozes, sob direção do maestro o Dc. Genilson Luis. Foram  dez meses de ajustes nas vozes, no repertório, na orquestra com mais de 200 músicos, e vários outros detalhes acertados durante os ensaios para que tudo ficasse perfeito, para a Glória de Deus.

 

 

“Esse ano tem 24 corais e a orquestra. Os ensaios eram em cada congregação. Os corais ensaiavam separadamente. E uma vez por mês nos reuníamos no Templo Central. E, na verdade, é uma fusão de ensaio, culto e congresso. Porque a presença de Deus era tão forte que o ensaio nunca foi um ensaio normal, como a gente está acostumado. Era um ensaio diferenciado. O Pr. Ailton Junior ou o Pr. Luiz Mário iam lá, faziam o devocional, no meio dos hinos a gente falava da Palavra de Deus e o coral se emocionava. Deus curou e até conversão houve nos ensaios”, declarou o maestro Genilson.

 

 

Além deste Coral, a organização do grande culto na Arena contou com uma equipe de mais de 3 mil voluntários, que atuaram na logística, segurança e recepção. A montagem da estrutura do palco, som, cadeiras e da conservação da grama aconteceu durante toda a semana. O irmão Junior Silva, da congregação em Novo Benfica foi um dos voluntários. “Nossa responsabilidade é com o coral e orquestra auxiliando quem tem dificuldade em se acomodar. Pra mim é uma alegria que enorme. E não é somente eu que estou trabalhando, mas minha esposa e minha filha também estão. E vai ficar na história. Pra nós que somos dessa igreja, é uma alegria sem comparação”, afirmou.

Na programação, que começou com um pré-culto, às 13h, enquanto as caravanas iam se acomodando já se ouvia louvores e adoração. Levitas das congregações espalhadas por todo estado vieram cantar neste dia de celebração.

 

A abertura do culto oficial se deu em um momento tão emocionante quanto o ano passado. Primeiro foram prestadas homenagens aos pioneiros da IEADPE. Entre eles, Pr. Ademis Nogueira, Pr. Eraldo Omena, Pr. Dário Tavares e Pr. Severino Almeida que contribuíram com o início desta obra. As famílias dos pastores que já presidiram a igreja centenária também receberam as homenagens. Foi entregue das mãos do Pr. Ailton José Alves, uma placa comemorativa a família do Pr. José Bezerra (que sucedeu o missionário Joel Carlson), do Pr. José Rosa, do Pr. José Amaro, bem como do Pr. José Leôncio. Num momento tocante onde os presentes puderam ver figuras como a Ir. Alice Inácio e Ir. Carmélia Leôncio, viúvas dos dois últimos pastores.

 

 

 

 

 

Depois das homenagens, um vídeo narrando a história da Igreja desde os tempos primitivos, passando pela chegada dos missionários, pelos pastores presidentes que antecederam o Pr. Ailton, até chegar aos dias de franco crescimento da igreja foi transmitido. A igreja também se alegrou com o processional de abertura da noite que impactou a todos com a simbologia da passagem da tocha para as futuras gerações, com a mensagem: o fogo arderá continuamente.

 

 

A Arena se transformou em um templo para adoração a Deus. Um clima espiritual tomou conta do lugar. A ministração da Palavra de Deus foi feita pelo Pr. Juan Carlos Escobar, Presidente da AD Espanha. E, baseado no texto contido no livro de Cantares de Salomão 2.4b, ele falou sobre o amor: “O mundo precisa de pessoas que construam pontes. Jesus te ama”, disse. E, confirmando a tradição pentecostal da Assembleia de Deus em Pernambuco, também houve salvação de 18 almas.

 

O presidente da Convenção Geral das Assembleias de Deus no Brasil (CGADB) também veio prestigiar a celebração. De acordo com ele a igreja deve agradecer porque Deus tem feito prosperar as Assembleias de Deus no Brasil. “Nós agradecemos ao Senhor Deus porque Ele tem feito prosperar nossa igreja no Brasil. Não somente aqui no norte/nordeste, mas todo o Brasil. Nós podemos ver que as celebrações estão cada vez mais contundentes, porque o sentimento do povo assembleiano é a felicidade e a alegria de ser alcançado pelo evangelho pentecostal, e de estar servindo ao Senhor nesta igreja. Nós temos orgulho de ser assembleianos. Quando se comemorou os 99 anos foi uma maravilha e eu fiquei pensando: o que será que vai vir de novidade? E aconteceu de melhor foram as almas se rendendo aos pés do Senhor. Isso é o resultado e a premiação do trabalho que foi realizado”, declarou o presidente da CGADB.

 

 

 

E, mais outra vez, Deus surpreendeu a Sua Igreja. Durante este ano foram realizadas sete celebrações pelo centenário nas cidades de Petrolina, Caruaru, Goiana, Ouricuri, Garanhuns e Custódia onde mais de mil pessoas entregaram suas vidas a Jesus. Em comemoração pela data também foi lançado um livro histórico Cem Anos de Pentecostes, a Bíblia com encarte comemorativo e uma exposição que está aberta a visitação no terraço do Templo Central. Tudo feito para registrar o legado que esta igreja vem construindo ao longo de todos os anos.

 

 

Mais uma vez, a IEADPE quebrou o recorde de público registrado na Arena. Foram contabilizadas mais de 60 mil pessoas. Deste público, além dos irmãos de várias congregações, áreas, filiais e setores espalhados pelo Estado – que foram trazidos por 1138 ônibus locados -, vieram também para o encerramento das comemorações pelo centenário, todos os missionários enviados pela Igreja para outros países, além de mais dezenas de pastores vindos de todo o Brasil.

 

 

 

 

 

Quem imaginaria que o trabalho de um casal de missionários suecos fosse dar tantos frutos? Atualmente, a IEADPE conta com mais de 1 milhão de membros. São tantos que não cabem no maior espaço para eventos do estado. E não caberiam em nenhum do país e do mundo. Hoje esta igreja mostrou que é uma luz para o mundo  e que o segredo é manter a chama pentecostal acesa. As comemorações pelo centenário encerram aqui, mas os legado vai ser levado por gerações, até a volta de Cristo.

Fonte: ADNews

Is Jeremy Maclin choosing the Baltimore Ravens a big blow to the Buffalo Bills heading into 2017?

Rarely does a player with the talent level of Jeremy Maclin hit the open market as late as June. However on June 2 the Kansas City Chiefs released Jeremy Maclin to ease their cap hit. Once Maclin was released, the Buffalo Bills were immediately interested.Joe Flacco Jersey

They appeared to be a perfect match as head coach Sean McDermott and Maclin are familiar with each other. They had spent time together in Philadelphia. Additionally Bills running back LeSean McCoy and Maclin are good friends. McCoy took it upon himself to try and recruit Maclin to Buffalo.

Ultimately,Justin Tucker Jersey Maclin decided to pass on signing with the Bills, and chose to sign a two-year deal with the Baltimore Ravens. It appears, on the surface, to be a blow to the Bills offense. Maclin would have provided another weapon for Tyrod Taylor and to take some pressure of the Bills run game. However, one could argue that Maclin passing on the Bills is a blessing in disguise, especially when you look at the contract he signed.

The Ravens drastically overpaid for Maclin with a deal worth $11 million over two years.Dennis Pitta Jersey He’s coming off a very disappointing season with the Chiefs, in which he started in only 12 games due to a groin injury. His numbers were weak with 44 catches equaling 534 yards and two touchdowns.

Some of Maclin’s drop off can be attributed to injury. Groin injuries are notoriously difficult to recover from for wide receivers due to constant cuts and quick strides that wide receivers need to execute.C.J. Mosley Jersey However, when you look deeper at Maclin’s stats from last year, there are some numbers that pop out.

Maclin failed to make more than six catches in a game all season, and reached the six-catch plateau only twice.Elvis Dumervil Jersey Furthermore, Maclin had an 82-yard receiving game only once (Week 15). It’s also worth noting that this happened as the Chiefs were weak at wide receiver. When the Chiefs recruited him in 2015, Maclin was supposed to be the go-to guy for quarterback Alex Smith. Unfortunately, he finished third in receiving yards on the team behind a rookie wide receiver Tyreek Hill and tight end Travis Kelce last season.