Qual o risco dessa crescente exposição aos dispositivos de mídia?

Um teclado, um monitor e o mundo, assim é a Web. As Mídias Sociais “new media” (novas mídias) são as plataformas que utilizamos para nos comunicarmos; como o Facebook, WhatsApp, MySpace, Twitter, Blogger,Wordpress, Sónico, Youtube, Google Plus, Instagram, Askme, SnapChate, MSN etc... Resumindo: Rede Social é o relacionamento de pessoas através de um grupo de amigos e Mídias Sociais para nos comunicarmos, passando informações para as pessoas. Qual o risco dessa crescente exposição aos dispositivos de mídia?. Tablets, Smartphones, Notebooks, TVs, celulares, enfim, todos esses equipamentos são parte da nossa vida hoje, mas podem e precisam ser melhor utilizados por nossos adolescentes. 

I - A TECNOLOGIA E SEUS PROGRAMAS PERNICIOSOS

A internet trouxe novos nomes e novos conceitos para a vida de todos que usam um computador. Ela pode ser uma ótima ferramenta de informação, estudo, entretenimento, procurar emprego e amizade, mas também um grande perigo. A tecnologia é indispensável no mundo globalizado, definitivamente. Como um cumprimento profético (Dn 12.4), o saber tem-se multiplicado e avançado na mesma velocidade. O devemos é saber usar a tecnologia para a glória de Deus (1Co 10.31), sabendo que o coração do sábio procura e deve adquirir o conhecimento (Pv 18.15). Vejamos alguns problemas relacionados ao mal uso da internet:

1.1 O mal uso da internet estimula o pecado. É comum cenas de insinuação sexual virtual na internet, ensinando e estimulando a prostituição, o adultério, a fornicação e o homossexualismo. A Bíblia afirma que não devemos pôr coisa má diante de nós (Sl 101.2-4). Temos de nos posicionar como o salmista: “Não porei coisa má diante de meus olhos” (Sl 101.3). Esse critério orienta o adolescente a que não faça as coisas porque são lícitas, mas porque são lícitas e convêm, à luz do referencial ético da Palavra de Deus (Sl 119.105).

1.2 O mal uso da internet modifica a visão das coisas. Aquilo que é certo, como o amor conjugal verdadeiro e a pureza sexual, são vistos como algo ultrapassado em muitos sites na internet hoje em dia (Is 5.20,21). Muitos sites tornaram-se uma escola de crimes, imoralidade, desrespeito, prostituição, rebelião e vício. As Escrituras sustentam: “Não meterás, pois, abominação em tua casa...” (Dt 7.26). Tudo o que o adolescente fizer deve objetivar a glória de Deus, pois para isto é que fomos criados (Ef 1.12).

II - ENTÃO É PECADO USAR A INTERNET? 

Paulo nos responde essa pergunta com grande ênfase em 1Coríntios 6. 12 quando diz: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas as coisas convêm. Todas as coisas me são lícitas; mas eu não me deixarei dominar por nenhuma delas”. O maior problema encontrado pelo adolescente cristão hoje é não ter mais força para dizer “NÃO”! Tornaram-se “netólatras” (viciados em internet) e se arrastam pelas vias virtuais que levam a destruição, vergonha e morte, pois cometem pecado ao não selecionarem os caminhos pelos quais seguirão, indo por qualquer um, inclusive navegando pela pornografia, pedofilia, zoofilia, jogos de azar, sítios de encontros devassos e outros. Isso, sim é pecado! (Rm 6.23). Tudo começa com o desejo, depois dar-se um jeitinho de fazer o desejo acontecer e quando ele acontece comete-se  pecado contra o Senhor, ai certamente virá o castigo por aquele ato (Tg 1 15). Salomão escreveu: em Eclesiastes 12.14 “Porque Deus há de trazer a juízo toda obra, e até tudo o que está encoberto, quer seja bom, quer seja mau”. 

2.1 Fazendo aliança com os olhos. Um dos motivos pelos quais Jó foi descrito como um homem íntegro, reto, temente a Deus e que se desvia do mal (Jó 1.1) é porque ele fez uma aliança com seus olhos para manter sua pureza (Jó 31.1). Os olhos tiveram um papel fundamental nos pecados de Eva e de Davi (Gn 3.6; 2Sm 11.2). O salmista decidiu não por coisa injusta diante de seus olhos (Sl 101.3) e orou a Deus para desviar seus olhos de coisas vãs (Sl 119.37). Jesus afirmou: “Se o teu olho direito te faz tropeçar, arranca-o e lança-o de ti; pois te convém que se perca um dos teus membros, e não seja todo o teu corpo lançado no inferno.” (Mt 5.28-29). Isso porque se os olhos forem bons, todo o corpo será puro (Mt 6.22-23). 

III - VENCENDO O MAU USO DA TECNOLOGIA

A vida moderna está vinculada à informação e à imagem. A cultura secular tornou-se mais visual do que dialógica, e a internet é uma das grandes representantes dessa nova cultura que une comunicação, tecnologia e representação gráfica. A tecnologia da informação, por exemplo, tomou conta de todas as áreas da vida moderna. Em certo sentido, trata-se do cumprimento da profecia de Daniel 12.4: “... e a ciência se multiplicará”. Portanto, é um grande desafio para a família saber usar e controlar os meios de comunicação, a partir do lar, nesses tempos difíceis e trabalhosos. A capacidade de se comunicar com palavras é um presente que Deus deu aos homens desde a criação do primeiro casal. Tudo que a Bíblia fala sobre o uso da língua deve ser aplicado à comunicação pela Internet (Ef 4.25,29; Tg 1.19,26). Como evitar a má utilização da tecnologia? Vejamos:

3.1 Tendo autocontrole que é parte do fruto do Espírito (Gl 5.22-24). O apóstolo Pedro também recomenda aos cristãos que acrescentem domínio próprio ao conhecimento (2Pe 1.3-11) e o autor de Provérbios afirma que um homem sem domínio próprio é tão vulnerável como uma cidade derrubada e sem muros (Pv 25.28). O apóstolo Paulo usou a imagem de um atleta para ilustrar o estilo de vida que deve caracterizar o cristão (1Co 9.24-27). 

3.2 Examinando tudo, mas só retendo o bem (1 Ts 5.21). Aqui, o adolescente é convocado a discernir a cultura de seu tempo, e reter somente aquilo que é bom, santo, agradável, justo e útil (1Co 6.12; 10.23; Mt 5.13-16) ), pois a Bíblia é nossa regra de fé e prática (2Tm 3.14-17).

3.3 Valorizando o que é correto (Dn 1.8). Nem tudo é imundície ou trevas nos meios de comunicação. Há muita coisa útil, até mesmo para a vida cristã. Na internet, por exemplo, há estudos bíblicos e mensagens que, antes, ficavam ao alcance apenas dos eruditos. Todavia, precisamos examinar todas as coisas com muito cuidado e discernimento. (Pv 15.3; 1Co 2.15). Tudo o que o adolescente fizer, deve ter como objetivo a edificação (Sl 103.1).

3.4 Avaliando aquilo que deve ocupar a nossa mente (Fp 4.8). Paulo, em sua carta aos Filipenses, dá-nos uma sábia orientação quanto ao que devemos acolher em nosso coração, ou em nossa mente. Por isso, é necessário reconhecer que o celular pode “obstacularizar” a adoração quando: a) Se torna um instrumento de ansiedade; b) Se torna um instrumento de tentação; c) Se torna um instrumento de pecado. Nunca devemos esquecer o que nos diz a Bíblia (Ec 5.1; Pv 21.2; Sl 7.9; 17.3; 139.1; Ap 2.23), pois, quem ama a Jesus obedece os seus mandamentos (Jo 14:21; 15:14; Mc 8:34; Lc 9:23).

3.5 Fugindo da aparência do mal (1Ts 5.22). É importante perceber que se somos dominados por algo que não vem de Deus, este algo se transformou num ídolo para nós. Evidentemente a Bíblia condena idolatria (Êx 20.3; 1Jo 5.21). O livro de Ezequiel ensina que existe um tipo de idolatria sem imagens, que acontece no coração (Ez 14.1-11). Davi olhou do terraço e viu Bate-Seba tomando banho e caiu em pecado (2Sml 11.1). Saul se expôs, desobedecendo ao Senhor e perdeu o seu reinado (1Sm 13.8-14). Não esqueçamos que as más ações, mesmo que virtuais são pecado e como tal, passíveis de condenação eterna (Rm 2.16; 1Co 6.12; 1Tm 3.7; Cl 3.5).

IV - SUGESTÕES PARA O BOM USO DA TECNOLOGIA 

A melhor sugestão sobre o uso da Internet foi feita mais de 1900 anos antes dela existir! Paulo, um dos apóstolos do Senhor, disse: "Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento" (Fp 4.8). Seria bom se tivesse como colar este versículo do lado do monitor de cada computador no mundo. Este mandamento de Deus exige uma preocupação da nossa parte quando usamos a tecnologia. Vejamos algumas sugestões:

4.1 Controle seu tempo na rede, nunca deixando de fazer as coisas mais importantes. Enquanto a Internet oferece coisas que podem ajudar no estudo da Bíblia, ninguém deve se enganar pensando que tempo navegando de um site para outro é tempo investido no estudo das Escrituras. O melhor é clicar em "desconectar" e abrir a Bíblia! "Portanto, vede prudentemente como andais, não como néscios e sim como sábios, remindo o tempo, porque os dias são maus" (Ef 5.15-16). 

4.2 Mantenha o computador num lugar aberto e acessível. Sigamos o conselho do apóstolo Paulo: "E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as. Porque o que eles fazem em oculto, o só referir é vergonha. Mas todas as coisas, quando reprovadas pela luz, se tornam manifestas, porque tudo que se manifesta é luz" (Ef 5.11-13). 

4.3 Continue se comunicando com sua família. Não devemos deixar que as maravilhas da tecnologia como o Facebook, WhatsApp e outros roubarem de nossa família o precioso dom de comunicação que Deus deu para todos nós. Desligar o Smartphone e falar com a família pessoalmente é a melhor escolha. Orar com sua família; estudar a Bíblia juntos. 3500 anos atrás, Deus pediu que os pais falassem com os filhos sobre a Palavra dele "assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te, e ao levantar-te" (Dt 6.7). Este conselho é bom para hoje, também.

4.4 Desenvolva a mente de Cristo a fim de que não sejas presa dos rudimentos mundanos (1Co 2.16). Sigamos o conselho paulino:  “Tende cuidado, para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo” (Cl 2.8). Antes levemos cativo todo pensamento à obediência de Cristo (2Co 10.5). Em relação à tecnologia, não devemos pender ao extremismo, mas, por outro lado, devemos examiná-la à luz do Evangelho (1Ts 5.21), retendo o que for proveitoso. É interessante, também, que não desprezemos as coisas simples da vida, abrindo mão de algumas regalias tecnológicas, para estarmos ao lado da família, das pessoas que amamos. Além disso, as inúmeras facilidades tecnológicas não podem nos distanciar da intimidade com Deus e com o próximo. Nada substitui, também, os momentos de oração e leitura da Bíblia, a qual, mesmo com tanta tecnologia, continua sendo lâmpada para os nossos pés e luz para os nossos caminhos (Sl 119.105).

V - FERRAMENTAS PARA VENCERMOS OS EFEITOS DA TECNOLOGIA

Satanás lança mão de todos os meios possíveis para induzir ao erro o povo de Deus. Como igreja do Senhor, estejamos devidamente preparados, alicerçados na Palavra de Deus, para detectar e combater suas muitas sutilezas. A Bíblia adverte-nos: “Tende cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas [...]” (Cl 2.8). Um dos maiores desafios da igreja nestes últimos dias é lutar contra os enganos e os ardis do Inimigo. Mas, como podemos vencer as influências no aml uso da tecnologia?

Através da Palavra de Deus (Ef 6.17; Hb 4.12);

Através da Oração a Deus (1Ts 5.17; Is 65.24);

Ser fortes na Comunhão com Cristo  (1 Co 1.9; At 2.42);

Ser fortes na participação (Mc 16.15; At 5.32);

Ser fortes na identidade cristã (At 5.28,29);

Fugir do pecado, como José (Gn 39.12; Is 59.2);

Guardar - nos da contaminação, como Daniel (Dn 1.8);

Ouvir a voz de Deus, como Samuel (1Sm 3.1-10);

Pelo poder do Espírito de Deus (1Tm 1.7; Lc 24.49).

A tecnologia não é um fim, mas um meio a serviço do homem. Cabe aos cristãos discernir entre o bem e o mal. Tudo o que é útil e proveitoso, o Diabo tenta destruir, inclusive vidas. Porém, com o poder de Deus, podemos vencer os desafios do mal (Fp 4.13). Amados do Senhor estejam atentos e não se deixem enganar pela obra sutil do diabo. Lembre-se, ele anda ao nosso lado à procura de uma brecha, e encontrando-a entra e destrói a vida. Vamos fazer uso da Internet de uma forma santa e edificante! “Sede santos, porque eu sou santo” 1Pe 1.16

REFERÊNCIAS

COLSON, C.; PEARCEY, N. O cristão na cultura de hoje. RJ: CPAD, 2006.

COLSON, Charles; PEARCY, Nancy. E agora, como viveremos? RJ: CPAD, 2009.

GILBERTO, et al. Teologia Sistemática Pentecostal. RJ: CPAD, 2010.

PALMER, M. D. (ed.) Panorama do pensamento cristão. RJ: CPAD, 2001.

RENOVATO, Elinaldo. Perigos da Pós-Modernidade. RJ: CPAD, 2010.

STAMPS, Donald C. Bíblia de Estudo Pentecostal. RJ: CPAD, 1995.

Este artigo é de propriedade intelectual da Igreja Evangélica Assembléia de Deus em Pernambuco (IEADPE). Sua reprodução, parcial ou total deverá ser acompanhada da citação da fonte, conforme artigo 184 do Código Penal – Lei n° 9.610-98 sobre os Direitos Autorais que diz: A violação por qualquer meio, de obra intelectual, no todo ou em parte, para fins de comércio, sem a autorização expressa do autor ou de quem o represente é crime contra a propriedade intelectual.